Sobre o Autor


Eu nasci no tempo errado
Ou andei muito depressa
Dei "oh de casa" em tapera,
Fiquei devendo promessa
Mas se eu pudesse eu voltava
Pra onde o Rio Grande começa...

(Apparicio Silva Rillo e Pedro Ortaça – Timbre de Galo)

Sávio Moura nasceu em São Luiz Gonzaga em 18/07/1965, e sempre morou na mesma cidade. Na infância jogou muito futebol com os amigos, além de todas as atividades "importantes" que um guri criado no interior pode ter. Numa dessas se machucou e ficou de cama por alguns dias, coberto de gibis emprestados. Isso, unido à sua inquieta vocação para o desenho fez nascer a sua paixão pelos quadrinhos. Cresceu em um ambiente impregnado pela cultura missioneira, e aprendeu a admirar os quatro "Troncos Missioneiros": Cenair Maicá, Jayme Caetano Braun, Noel Guarany e Pedro Ortaça. Em 1994 passou a colaborar como chargista do jornal local "A Notícia", publicando em 1999 o livro “Humor à Primeira Vista”, uma coletânea de charges. Hoje se dedica à tira "É Dura a Vida no Campo", criada em 2006 para participação na 2ª Mostra de Artes do Atelier Los Libres. Em 2007, foi o homenageado da 2ª Feira do Livro Infanto-Juvenil, promovida pela Prefeitura Municipal de São Luiz Gonzaga – SEMEC. Em 2009 novamente foi o homenageado da Feira do Livro Infanto-Juvenil, dessa vez participando do projeto Difusão da Leitura da Secretaria de Cultura de São Luiz Gonzaga. É casado com a Giane, tem duas filhas, Rafaela e Marcela, e é formado em Administração pela URI de São Luiz Gonzaga. Também é bancário e gosta de ir pro campo nas horas vagas. Em 2010 foi o Patrono da Feira do Livro de São Luiz Gonzaga. Publica regularmente a coleção de livros É Dura a Vida no Campo, e em 2011 lançou o gibi “Chiru Velho & Virso”, com histórias em quadrinhos dos personagens. Em dezembro de 2011 foi o vencedor do concurso Tiras de Verão, da Zero Hora.

"A leveza do traço na trama bem armada"

"Sávio de Oliveira Moura é um jovem de excepcionais dotes artísticos, que tem na charge uma forma de expressar-se. Quando começou a publicar seus trabalhos em A Notícia, conquistou imediatamente os leitores do jornal, que reconheceram nele um daqueles talentos que surgem apenas de tempos em tempos. Sávio, em suas charges, interpreta com muito bom humor as reações das pessoas no seu cotidiano. Combinando o desenho com o texto, realiza obras de acabamento perfeito. De forma direta e fácil compreensão, consegue transmitir sua mensagem, fazendo com que o público reflita em torno de fatos e acontecimentos, pela janela do bom humor (...)".

José Grisolia Filho, na apresentação do livro "Humor à Primeira Vista", em 1999.

Pra quem tem fome de bom humor

"(...) Na agência da Caixa Econômica Federal de São Luiz Gonzaga, costumo ver o Sávio se debruçando sobre os encargos de bancário, com ar de sempre sério, dando vez e outra um leve sorriso, a anunciar que já está arquitetando outra piada mirabolante com seus homenzinhos movidos a saudável ironia para sacudir o ranço e a mesmice de aldeia. E aí ele vira rei da sátira, grafista do espaço com o traço limpo e solto casando tão bem com o texto direto e conciso sobre temas de hilariedade do nosso cotidiano. E por incrível que pareça, sua arte se inova a cada ano, em cada fase, como a buscar o sentido do humor na sua inteireza (...)".

Newton Alvim, na sua apresentação para o mesmo livro.

O Chiru Velho e o Porco: obra de Vinícius Ribeiro na homenagem da 2ª Feira do Livro Infanto-Juvenil de São Luiz Gonzaga.

Baú de recordações: 18ª Feira do Livro de São Luiz Gonzaga, em 1994. Sentados: Mara Rössler, Newton Alvim, Sampaulo, e a menina Cazuza Rodrigues. Em pé: Sávio Moura, Ivone Ávila e Luiz Antonio de Assis Brasil. Ao fundo, Zé Livrão e Maria Livraria.

O artista na versão campeiro.

O cartunista na lida, campeando inspiração.